1

Você entende o “Avionês” falado por pilotos e funcionários nos aeroportos?

Não entendeu o que o comandante disse? (Foto: Malaysia Airlines).

Dependendo da profissão, o uso de termos técnicos, abreviações e mesmo certos apelidos é algo normal para facilitar a comunicação entre o pessoal que trabalha em determinados setores.

Mas a aviação é um ambiente onde essa prática é muito mais usada. E, por mais que sejam instruídos, pilotos, comissários e pessoal de terra muitas vezes acabam falando “avionês” com passageiros e visitantes nas aeronaves e aeroportos.

Para ajudar a entender o que acontece do outro lado do balcão, Airway decifrou alguns termos dessa língua tão particular:

Aproximação final: essa é até fácil de entender, mas não custa explicar que se trata da fase em que o avião está descendo já no sentido do aeroporto de destino, em inglês “final approach”.

ATC: Air Traffic Control, ou controle de tráfego aéreo.

CB: Cumulus Nimbus, a temida formação de nuvens de chuva e raios.

Crosscheck: é um pedido do comandante ou do piloto para que a tripulação verifique o que a outra executou e vice-versa. Uma forma de se certificar de que algo foi feito corretamente.

O CB, mais conhecido como Cumulus Nimbus.

Dep: pessoal de terra dizendo que o voo está decolando (departure).

Estol: é a perda de sustentação da aeronave (em inglês ‘stall’). Já foi aportuguesado para o verbo ‘estolar’, em outras palavras, quando o avião perde a capacidade de voar.


O estol, quando o avião perde a capacidade de voar.

ETA e ETD: essas siglas significa quais são os horários de pouso e decolagem previstos – Estimated Time of Arrival (tempo estimado de chegada) e Estimated Time of Departure (tempo estimado de partida).

Final para pouso: outra forma de explicar que o avião está quase pousando.

Flight deck: não é comum mas pode escapar de um ou outro piloto. Nada mais é do que a cabine de comando ou cockpit do avião.

A cabine de comando, também chamada de cockpit ou ‘flight deck’.

Mach: é a medida da velocidade do som e foi criada pelo físico austríaco Ernst Mach. Diferentemente do quilômetro por hora, o Mach varia conforme a altitude e a pressão já que o som se propaga de forma diferente dependendo dessas condições. Quando um piloto ou painel de informações mostra um avião voando a Mach 0,87, por exemplo, significa 87% da velocidade do som naquela situação. A 35 mil pés (10.668 m), a velocidade do som é de 1.063 km/h enquanto ao nível do mar com 27ºC é de aproximadamente 1.225 km/h.

Mayday: código internacional de socorro por rádio.

Non-stop: voo sem escalas.

Nível de voo: geralmente os pilotos repassam a informação de altitude para metros, porém, há quem informe também em pés, que é a medida usada na aviação. Um pé é equivalente a 30,5 cm aproximadamente. Ou seja, se um avião voa a 30.500 pés ele está a 10 mil metros de altitude.

Nível de voo, ou ‘flight level’, é a ‘estrada’ por onde o avião voa.

Nós: o mesmo que milha náutica que é diferente da milha terrestre – Em inglês se escreve ‘knots’. Uma milha náutica equivale a 1.852 metros, portanto, se um avião voa 500 nós está a 926 km/h.

Pax: é uma abreviação para a palavra passageiro.

Primeiro oficial: embora nenhum piloto de companhia aérea seja militar, as tripulações seguem um padrão semelhante de hierarquia. Em inglês o comandante do avião é o ‘capitão’ e seu co-piloto o ‘primeiro oficial’.

Rampa de pouso: embora alguns procedimentos ainda sejam num perfil “escadinha” (quando o avião desce de altitude aos poucos) tem-se uma rampa imaginária ao se aproximar para pouso num aeroporto.

Touchdown: não se trata da mesma explicação do futebol americano, mas não deixa de ser um “touchdown”: é o momento do toque da aeronave no pouso.

Esse trem não é mineiro (Foto: Dmirty A. Mottl).

Trem baixado e travado: não, não se trata de uma brincadeira com os mineiros. De fato, o conjunto de rodas e pneus e sua estrutura (às vezes retrátil, às vezes fixa) é chamado de ‘trem de pouso’. Quando ele está estendido e pronto para o toque na pista podemos escutar um piloto dizer “trem baixado e travado”. Curiosamente, se fosse traduzido literalmente do inglês, seria “engrenagem de pouso”, talvez uma explicação mais objetiva.

Zulu: é quando se fala um horário na fuso de Greenwich, ou seja, 3 horas a mais que no horário de Brasília.

Fonte: Airway

Um comentário:

  1. Alô amigos.
    Por favor um avião voando 1000 Km de distância corrige sua direção quantas vêzes,por causa da curvatura da Terra ?
    Obrigado

    ResponderExcluir

Agradecemos sua participação!

Aerojoaopessoa. Copyright © 2012 - 2016. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.