2

Técnicos da Aeronáutica atestam que o aeródromo de Cajazeiras só pode operar com aeronaves de pequeno porte - Em Patos a situação pode ser a mesma





Engenheiros do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica) estiveram reunidos na noite desta sexta feira (19) na sede da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) com representantes de vários seguimentos da sociedade, para apresentar um parecer encomendado pelo SINDIBENS, CDL, AC3 e Associação Comercial, sobre a viabilidade econômica e, principalmente, a real capacidade da pista do aeródromo regional de Cajazeiras.

Segundo os engenheiros que estiveram visitando o local, o aeródromo nas atuais condições, poderá apenas operar com aeronaves do tipo Bandeirantes, que possuem capacidade para 18 passageiros, comprovando o que foi colocado pelo piloto cajazeirense Fábio Dantas e, que provocou polêmica nas redes sociais, recentemente.

Contudo, os técnicos apresentaram algumas adequações que poderão ser feitas no aeródromo, sobretudo na pista, para que a operação de aeronaves de maior porte como Boing, por exemplo, possa ser implantada.

Pontos básicos como o balizamento noturno que já está em andamento, também foram colocados pelos engenheiros para que o aeródromo venha a ter condições de operação de voos.

O prefeito José Aldemir esteve presente e se colocou a disposição das entidades e da sociedade para ir até a ANAC buscar essas condições apresentadas no parecer. Ele também se comprometeu mais uma vez continuar buscando junto a Empresa de Transportes Aéreos Glória de João Pessoa, a implantação do serviço de transporte aéreo em Cajazeiras.

O problema é a resistência do piso asfáltico, o tal do PCN, do inglês, Pavement Classification Number, ou Número de Classificação (resistência) do Pavimento, que em Cajazeira é extremamente baixo. Uma aeronave turboélice de 70 passageiros da Azul, pesa 25 toneladas e o piso de Cajazeiras resiste a somente 7 toneladas, segundo a reportagem acima.

Única Solução: Construir uma nova pista com resistência Mínima para 33t como são as pistas regionais modernas!

"Lamento, mas foi um grande erro estratégico do governo do estado e seus engenheiros mal preparados para o modal aéreo ou existe alguma coisa obscura para tal erro. Saudações".

Brigadeiro Firmino Aires em Patos. De acordo com informações do piloto comercial e bacharelado em Ciências Aeronáuticas, Fabio de Oliveira Dantas, Patos está na mesma situação.

Ele garante que o "aeródromo de Patos", assim como o de Cajazeiras só pode operar com aeronaves de pequeno porte e que todas as informações a respeito dos aeródromos estão contidas nos registros de Sites Oficiais da força Aérea Brasileira e da Anac.

Comandante Dantas, que é de Cajazeiras e mora atualmente em Natal/RN garantiu que a atual situação do aeródromo de Patos compromete o trabalho de pouso ou decolagem de aviões de grande porte e que a pista suporta apenas aviões com capacidade de até 18 (dezoito) passageiros. 

Fonte: Portalpatos/BlogdoFurão

2 comentários:

  1. Matéria gentilmente enviada pelo leitor do AEROJOAOPESSOA, Fabio Dantas.

    ResponderExcluir
  2. Isso é uma vergonha. Demoram anos para entregar uma simples obra e mesmo assim, o interior do estado não tem se quer uma pista digna para pousos e decolagens. Enquanto isso os sertanejos terão que se deslocar para Campina Grande ou Juazeiro do Norte-CE para utilizar o transporte aéreo. Sem contar também que esses erros técnicos nos aeródromos podem comprometer o inicio das operações da TAG Linhas Aéreas. A não ser que a mesma inicie as suas operações ligando João Pessoa com outras cidades da região nordeste.

    ResponderExcluir

Agradecemos sua participação!

Aerojoaopessoa. Copyright © 2012 - 2016. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.