0

É possível montar um pacote de viagens apenas com milhas?

Medeiros preside a Abemf e é diretor executivo da Multiplus. Foto: 
Henrique Santiago.

O mercado de fidelização cresceu, cresce e continuará crescendo muito nos próximos anos.

Essa é a opinião do presidente da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf), Roberto Medeiros.

A busca por passagens aéreas com o resgate de milhas é prioridade para os brasileiros, enquanto itens de produtos e serviços figuram como itens secundários. O Turismo, especificamente, é um segmento da indústria que tem muito a ensinar para outras áreas da indústria, segundo ele.

Para Medeiros, as companhias aéreas estão mais do que familiarizadas com esse universo. As quatro principais transportadoras do Brasil têm seu programa de fidelidade que permitem várias recompensas: Gol (Smiles), Latam (Multiplus), Azul (Tudo Azul) e Avianca (Amigo) - somente a última não se associou, mas há conversas encaminhadas, segundo o presidente. Por outro lado, setores como a hotelaria ainda não enxergaram a possibilidade de crescimento e fidelização com esse programa.

“Os hotéis não encorajam os clientes a acumularem pontos em programas de fidelidade que não sejam os seus próprios. Mas ainda é uma ideia ‘jovem’ que tem de ser trabalhada”, refletiu, destacando que é pouco expressiva a porcentagem de consumidores que resgatam hospedagens, carros e afins.

Mas o Turismo também tem lições a ser dadas para players que não necessariamente são seus concorrentes. A probabilidade de viajar pelo Brasil e mundo é analisada por Medeiros como a entrega de uma experiência.

“Há um encantamento que precisa ser ensinado. Viajar é experiência. É diferente, por exemplo, de resgatar com pontos um liquidificador. Ali não há experiência.”

PACOTE COM MILHAS

Embora exista em menor escala, Medeiros acredita que montar um pacote - aéreo, hotel, carro, passeios etc - será mais fácil com o aumento de oferta e o entendimento do cliente em cima desse modelo de negócio. Essa aquisição de um produto sem pagar um centavo estaria mais propensa em acontecer em empresas como Latam Travel ou Azul Viagens, por terem seus programas de fidelidade e agências de viagens com lojas físicas e virtual.

Isso não significa, porém, que o resgate de pontos na indústria de viagens estará resumido propriamente a bilhetes aéreos. O consumidor, segundo Medeiros, passou a enxergar recentemente a importância, enquanto outros players ainda devem se movimentar nos próximos anos e se espelhar em empresas de aviação. A própria Abemf foi fundada em 2014 e recém-completou seu terceiro ano de atividades.

Fonte: Panrotas

Nenhum comentário

Agradecemos sua participação!

Aerojoaopessoa. Copyright © 2012 - 2016. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.