0

Não consegue juntar milhas? 10 dicas para você finalmente voar de graça

Imagem: Creative Commons.

Quem nunca se encheu de esperança ao consultar a pontuação disponível no cartão de crédito, esperando ter milhas suficientes para ir viajar, e se decepcionou com o que viu?

Não é um sentimento incomum. Afinal, após meses pagando as faturas em dia, os pontos muitas vezes estão longe de serem suficientes.

Mas a boa notícia é que dá para mudar isso. Com pesquisa e atenção a promoções, é possível ir multiplicando seus pontos sem precisar, ao mesmo tempo, multiplicar seus gastos no cartão.

1. Nem todos os cartões rendem a mesma quantidade de pontos 

Em linhas gerais, os cartões gold costumam gerar uma milha a cada dólar gasto; os platinium 1,5 por dólar e os black, 2 pontos por dólar. No entanto, isso não é regra. Cada banco trabalha essa pontuação de uma maneira e promoções podem alterar estas quantias por períodos determinados. 

2. Comprar milhas pode ser mais barato que comprar passagens

Especialmente quando as companhias aéreas e programas de fidelidade fazem promoções, vale a pena comparar o custo do bilhete e o custo da quantidade de milhas que faltam para você emitir sua passagem-prêmio.

3. A maioria dos cartões tem transferência mínima

Para usar seus pontos do cartão para comprar passagens, você pode ou comprar diretamente no site do programa de seu banco ou primeiro transferir os pontos para a fidelidade de alguma companhia aérea e, então, fazer a emissão. No entanto, é comum que haja limites mínimos para essa transferência, como de 10.000 pontos por exemplo.

4. A quantia de milhas necessária varia muito dependendo das datas

Da mesma forma que existe a variação do preço das passagens, as tarifas em pontos também podem subir bastante em períodos de alta procura. O que também acontece é que as companhias disponibilizam um número limitado de passagens em quantia promocional de milhas, então é recomendado comprar com antecedência.

5. Você pode juntar milhas comprando com parceiros dos programas de fidelidade

A fatura do cartão de crédito não é a única fonte de pontos. Nos programas das companhias aéreas é possível somar pontos - e muitas vezes em quantia bem maior do que com o cartão em si - com parceiros. A lista e a quantia de pontos que podem ser resgatados estão nos sites dos programas de fidelidade.

6. Reservas de acomodação também juntam milhas

É possível usar uma viagem para ir juntando pontos para a próxima. Tanto sites de reserva de hotel, quanto o Airbnb possuem parcerias com programas de fidelidade de companhias aéreas. Consulte a lista nos sites destes programas.

7. Compra de combustível também gera milhas

Programas de fidelidade de redes de postos de gasolina também estão ligados aos programas das companhias aéreas. É preciso pagar para transferir de um programa para o outro, e a dica é acompanhar as promoções que, inclusive, podem dobrar a quantidade de pontos nos programas das redes de postos a cada transferência.

8. Se você juntar as milhas sempre no mesmo lugar, será mais fácil trocá-las

A transferência de milhas de um CPF para o outro é paga e não é possível migrar os pontos de um programa para o outro. Portanto, pesquise as vantagens de cada programa para identificar qual o melhor para suas necessidades e sempre coloque seus pontos no mesmo.

9. Companhias e cartões diferentes têm pontos com prazo de validade diferentes

Tanto as milhas obtidas diretamente pelas viagens, quanto aquelas juntadas com cartão de crédito e parceiros geralmente têm validade, de 12 a 36 meses. Cartões com anuidade mais cara, no entanto, têm pontos com validade infinita.

10. Programas de fidelidade têm clubes de vantagens

Pagando uma mensalidade que varia de acordo com o número de benefícios, é possível turbinar seus pontos entrando em um dos clubes disponibilizados pelos programas.

Fonte: Uol

Nenhum comentário

Agradecemos sua participação!

Aerojoaopessoa. Copyright © 2012 - 2016. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.