0

Uma passagem aérea e vários destinos: stopover é febre entre viajantes

Imagem: Thinkstock.

Escolher um trecho aéreo com conexão deixou de ser um transtorno na viagem.

Pelo contrário: é uma ótima ideia aproveitar a parada para explorar novas cidades. Tudo isso graças a um programa chamado stopover, que já existe há algum tempo em várias companhias aéreas, mas que ganhou os holofotes em 2017 e promete manter-se em alta este ano.

Funciona assim: você tem a opção de fazer uma parada voluntária de mais de 24 horas em um aeroporto no país de origem da companhia aérea, antes de embarcar para o destino final. A grande vantagem está no fato de poder conhecer uma ou mais cidades pagando o mesmo valor de um voo comum. O tempo de conexão pode variar de um a cinco dias, dependendo da companhia.

Por exemplo: você vai para Paris, na França, mas tem interesse também por Lisboa, em Portugal. Com o stopover, é possível sair do Brasil com um bilhete aéreo para a capital francesa, já prevendo uma parada longa em Lisboa. Assim, você passa uma ou mais noites na capital portuguesa e depois retorna ao aeroporto para seguir viagem. Há hotéis parceiros do programa que oferecem descontos nas diárias, também. 

Por onde começar?

No site da companhia aérea, simule o voo desejado e escolha o item stopoverpara acrescentar a parada. A opção pode estar descrita como multi-city, múltiplos destinos ou múltiplas cidades. O procedimento é o mesmo nas agências de viagens virtuais, e você pode fazer a mesma coisa em uma agência tradicional.

O stopover é um serviço sem custo adicional, ou seja, caso o trecho escolhido tenha ficado mais caro do que o voo tradicional, verifique se as regras do programa estão sendo respeitadas, como disponibilidade de assentos no período escolhido, tempo de permanência no destino intermediário, classe tarifária, número de conexões etc. O único valor adicional que pode ser acrescentado ao bilhete stopover é referente à taxa aeroportuária do local onde será realizada a parada. Fique de olho!

Não existe a modalidade para viagens dentro do Brasil, mas nada impede você de selecionar um voo doméstico com conexão longa e curtir algumas horas em alguma cidade de interesse. Para isso, basta verificar a disponibilidade junto à companhia aérea e, claro, ficar de olho no valor final do bilhete. 

Imagem: Getty Images/iStockphoto/george tsartsianidis.

Você pode usar milhas

Vários programas de milhagens aceitam o stopover. Esta informação, porém, nem sempre está disponível de forma clara ou com fácil acesso nos sites de reservas. O mais indicado é entrar em contato pela central de atendimento da companhia para fechar o negócio. Como não há padronização na utilização dos pontos ou milhas, informe-se sobre as regras e políticas de utilização para não ter surpresas desagradáveis no balcão de embarque.

Muitas combinações

Com a total adesão das companhias aéreas ao programa (e as centenas de acordos que existem entre elas), fazer combinações de rotas é fácil e empolgante. É possível, por exemplo, viajar para os Estados Unidos e fazer uma parada no Panamá; voar até a Espanha antes de curtir a Holanda; fazer uma parada estratégia na França e seguir para o Reino Unido. Opções não faltam. Para facilitar a busca, reunimos abaixo uma lista com as principais companhias aéreas internacionais que atuam com stopover e quais seriam as paradas previstas no programa.

Aerolíneas Argentinas (Buenos Aires)
Aeroméxico (Cidade do México)
Alitalia (Roma)
Air Canada (Toronto)
Air China (Beijing ou Xangai)
Air France (Paris)
American Airlines (Miami, Nova York, Dallas ou Los Angeles)
Avianca (Bogotá)
British Airways (Londres)
Copa Airlines (Panamá)
Delta Airlines (Detroit ou Nova York)
Emirates (Dubai)
Etihad Airways (Abu Dhabi)
Ethiopian Airlines (Adis Abeba)
Iberia (Madrid)
Icelandair (Reykjavík)
Japan Airlines (Tóquio ou Osaka)
KLM (Amsterdã)
LATAM (Santiago, Assunção, Montevidéu, Rosário, Córdoba, Buenos Aires, Bogotá ou Lima)
Qantas (Sidney)
Qatar Airways (Doha)
Royal Air Maroc (Casablanca)
Singapore Airlines (Cingapura)
South African Airways (Johanesburgo)
Swiss (Zurique)
TAP (Porto ou Lisboa)
Turkish Airlines (Istambul)
United Airlines (Nova York, Washington, Chicago ou Houston)

Imagem: Getty Images/iStockphoto.

Dicas extras

Faça um bom planejamento: defina o orçamento de viagem, traçar o passo a passo do roteiro, pontos de interesse, tempo necessário nas atrações e quais serviços de viagem serão utilizados (hotel, transporte, passeios, câmbio...).

Se você já comprou a passagem: não se desespere, pois é possível alterar a modalidade do bilhete para o stopover, caso queira, mas há uma taxa adicional cobrada pela companhia aérea.

Bagagem: Tenha em mente que a mala terá de ser retirada na parada e que você estará com ela até retornar ao aeroporto, ou seja, nada de exageros. Uma boa ideia é fazer duas malas, uma para a parada e a outra para o destino final. Se precisar, utilize o serviço de guarda-volumes do aeroporto e verifique.

Cumprir o itinerário: cuidado ao mudar os planos. Se você quiser ficar no mais tempo no destino de conexão, saiba que abandonar o voo acarreta em cancelamento do bilhete. Ou seja, sua volta estará comprometida.

Fonte: Uol

Nenhum comentário

Agradecemos sua participação!

Aerojoaopessoa. Copyright © 2012 - 2016. Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.